Programa Entrevero Cultural – PEC
  • Dia Mundial dos Animais

    Publicado em 04/10/2018 às 21:34

    HISTÓRICO: 

    Para darmos início a este assunto, devemos lembrar da escala geológica  que a terra passou. Sabe-se que os primeiros surgimentos da vida na terra iniciou-se através da vida marinha seguido dos primeiros vertebrados.  Dentre as várias eras que aqui existiriam salientamos a existência da era Mesozóica que é onde surgem os primeiros mamíferos, que através de estudos dirigidos por paleontólogos,chegou-se então a primeira classificação de alguns animais como conhecemos na atualidade, isto foi relatados por Aristótoles em 350 a.C.

    ANIMAIS DE COMPANHIA

    Na sociedade mais remota os animais, tanto de porte grande a porte pequeno, eram reconhecidos para finalidades específicas como principalmente para tração ou caça. Atualmente a sociedade moderna trouxe maior significado para estes animais. Podemos perceber explicitamente que as famílias remotas constituíam-se apenas de um esposo, esposa e seus filhos, que geralmente eram em média 10 filhos por casal. No entanto esta configuração mudou de perfil, os casais reduziram a quantidade de filhos e devido às anomalias que acometem algumas mulheres e homens a não poderem ter seus desejados filhos. É devido a este fato que as família mudaram seus hábitos sociais, pois é aqui que nossos Pet´s se encaixam, começam a fazer parte dos lares das famílias. No geral, os animais se tornaram um símbolo de bem-estar no seio das famílias independente da idade. Alguns estudos nos apontam que a convivência de crianças com pets ajuda a desenvolver a maior senso de responsabilidade, melhora no vocabulário e na memória destas crianças.  

    Através disto podemos perceber que os animais hoje acabaram se tornando como “filhos” para alguns casais ou até mesmo jovens e não estamos falando apenas de cães e gatos, mas de aves, coelhos, hamsters, dentre outros animais que vivem em nosso meio.  

    Dia dos Animais

                                                                      Fonte: Dia dos Animais.Disponível em:
    https://www.portalsaofrancisco.com.br/calendario-comemorativo/dia-dos-animais.
    Acesso em: 04/10/2018. 

    UTILIZAÇÃO DE ANIMAIS

    Os animais servem como ajudantes na recuperação de pessoas com algum problema de saúde, tanto física como mental, levando à uma melhora na qualidade de vida. Os relatos mais antigos sobre terapias realizadas por animais é de aproximadamente 400 anos a.C, onde Hipócrates, grego considerado o pai da medicina, dizia acreditar que cavalgar trazia benefícios neurológicos. A aproximação e contato com o animal é capaz de despertar e melhorar as potencialidades do praticante, além do benefício que está ligado ao movimento do cavalo, que estimula ajustes motores no corpo de quem está sob o animal.

    Dentre as terapias mais utilizadas podemos citar: Atividade Assistida por Animais (AAA) e Terapia Assistida por Animais (TAA). Na AAA o objetivo é a diversão com o animal, geralmente acontece com cachorros e pode ter a interação com brinquedos, como por exemplo bolas. Já na TAA, os animais podem ser considerados como parte do corpo de médicos, utilizados para o tratamento das doenças. Auxiliam no desenvolvimento da fala, coordenação motora e etc. Durante a interação com o animal há produção e liberação do hormônio endorfina no corpo do paciente, o que resulta sensação de bem-estar e relaxamento, assim como diminuição na pressão arterial e no nível do hormônio cortisol (DOTTI, 2005). O convívio com os animais também estimula o organismo no desenvolvimento das células de defesa, onde, otimiza o corpo a conviver com bactérias e consequentemente, diminuindo os casos de alergias e doenças respiratórias.

    Dentre os animais utilizados para as atividades, estão, os cavalos, cães, gatos, pássaros, tartarugas, lhamas e golfinhos. Vale ressaltar que os animais utilizados sejam confiáveis, controláveis e, que, o estado de saúde dos mesmos estejam em boas condições para evitar a disseminação de doenças, principalmente zoonoses.

    Equoterapia. Fonte: Meus Animais. Disponível em: https://meusanimais.com.br/beneficios-trazidos-pela-psicoterapia-animais/. Acesso em: 04/10/2018.

    Terapia com Lhamas. Fonte: TRAMP entenda como quiser. Disponível em: http://tramp.com.br/gente/terapia-com-lhamas-leva-alegria-e-amor-aos-pacientes-de-um-hospital-em-washington/. Acesso em: 04/10/2018.

     

    O uso de animais na alimentação humana é de extrema importância pois são a principal fonte de proteína, vitaminas e nutrientes. Os exemplos de alimentos de origem animal são: carnes, ovos, mel, leite e seus derivados. As carnes podem ser de bovinos, suínos, aves e peixes. A carne vermelha é fonte de proteínas, gorduras, ferro, sódio e potássio. Já a carne branca é fonte de ômega 3, ômega 6, proteínas e vitaminas.

    Os ovos são ricos em proteínas e nutrientes, auxiliam  no fortalecimento e crescimento dos músculos, além de aumentar a sensação de saciedade e contribui para a saúde do cérebro.

    O mel, produzido pelas abelhas, produto do néctar das flores, auxilia no tratamento de doenças como resfriados, tosse, dor de garganta e doenças respiratórias. Além de fornecer energia, hidratar a pele  é um potente cicatrizante de queimaduras. Ainda é usado para prevenção de câncer e auxílio no emagrecimento.

    O leite é a principal fonte de cálcio, além de calorias, carboidratos, proteínas, magnésio, potássio, fósforo e vitaminas. Entre os alimentos derivados do leite, estão queijos, requeijão, manteigas e iogurte. Dos benefícios o mais importante é a prevenção da osteoporose e diabetes tipo 2, também a melhoria da saúde dos ossos e dentes e perda de peso.

    Fonte: Suinocultura Industrial.com.br. Disponível em: https://www.suinoculturaindustrial.com.br/imprensa/consumidor-deve-ficar-atento-com-fraudes-em-alimentos-de-origem-animal/20160308-172004-u253. Acesso em: 04/10/2018.

    Fonte: TodaMatéria. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/alimentos-de-origem-animal/. Acesso em: 04/10/2018.

    LEIS DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS

    Por definição entende-se que, Animal de Companhia é qualquer animal possuído ou destinado a ser possuído pelo homem, designadamente em sua casa, para seu entretenimento e enquanto companhia. Está assim vigente no Decreto -lei 314/03 de 17 de dezembro de 2003.

    Dentre os animais de companhia temos ainda:  

    Classificação dos carnívoros domésticos (Portaria 1427/01 de 15 de dezembro de 2003).

    1. a) Animais de companhia.
    2. b) Animais com fins económicos.
    3. c) Animais para fins militares.
    4. d) Animais para investigação científica.
    5. e) Cão de caça.
    6. f) Cão-guia.

     

    Aos donos deve-se os devidos deveres:

    • Nenhum animal de companhia deve ser vendido a pessoas com menos de 16 anos sem o consentimento expresso dos pais ou de outras pessoas que exerçam o poder paternal. (Decreto-lei 13/93, de 13 Abril de 2003).
    • Deve proporcionar-lhe instalações, cuidados e atenção que tenham em conta as suas necessidades etológicas, em conformidade com a sua espécie e raça, e, nomeadamente, fornecer-lhe, em quantidade suficiente, a alimentação e a água adequadas, dar-lhe possibilidades de exercício adequado, tomar todas as medidas razoáveis para não o deixar fugir.
    • Tem o dever especial de o vigiar, de forma a evitar que este ponha em risco a vida ou a integridade física de outras pessoas. (Decreto-lei 276/01, de 17 de Outubro de 2003).
    • O modo de transporte deve ser apropriado à espécie e número de animais a transportar, nomeadamente em termos de espaço, ventilação ou oxigenação, temperatura, segurança e fornecimento de água, de modo a salvaguardar a protecção dos mesmos ea segurança de pessoas e outros animais. (Decreto-lei 276/01, de 17 de Outubro de 2003).
    • A primeira coisa a fazer quando adquire um animal de companhia é levá-lo a uma consulta veterinária, verificar o estado geral de saúde, iniciar o programa de vacinação, colocar o chip de identificação electrónica e fazer o respectivo registo na base de dados nacional de canídeos e felinos (Sistema de Identificação e Recuperação Animal (Sira) ou Sistema de Identificação de Caninos e Felinos (Sicafe).
    • A morte ou desaparecimento do canídeo deverá ser comunicada pelo dono, detentor ou seu representante à respectiva junta de freguesia no prazo de 5 dias. (Decreto-lei 313/03).
    • A mudança de residência ou  extravio de boletim sanitário deve ser comunicado à junta de freguesia da área da sua residência ou sede, no prazo de 30 dias, qualquer . (Decreto-lei 313/03).
    • A transferência do registo de propriedade dos animais faz-se mediante solicitação do novo detentor junto da junta de freguesia, que procederá ao seu averbamento no boletim sanitário de cães e gatos. (Portaria 1427/01).
    • O alojamento de cães e gatos em prédios urbanos, rústicos ou mistos, fica sempre condicionado à existência de boas condições do mesmo e ausência de riscos hígio-sanitários relativamente à conspurcação ambiental e doenças transmissíveis ao homem. (Decreto-lei  314/03 de 1999). OBS: Geralmente em prédios urbanos podem ser alojados até três cães ou quatro gatos adultos.
    • O licenciamento de canis e gatis compete às câmaras municipais, em conformidade com o previsto no Decreto-Lei n.º 370/99, de 18 de Setembro.
    • É obrigatório o uso por todos os cães e gatos que circulem na via ou lugar públicos de coleira ou peitoral, no qual deve estar colocada, por qualquer forma, o nome e morada ou telefone do detentor. (Decreto-lei 314/03).
    • São proibidas todas as violências injustificadas contra animais, considerando-se como tais os actos consistentes em, sem necessidade, se infligir a morte, o sofrimento cruel e prolongado ou graves lesões a um animal.(Lei 92/95 de 12 de Setembro de 1995).
    • Maus tratos: Quem, sem motivo legítimo, infligir dor, sofrimento ou quaisquer outros maus-tratos físicos a um animal de companhia é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias.

    Se dos factos previstos no número anterior resultar a morte do animal, a privação de importante órgão ou membro ou a afectação grave e permanente da sua capacidade de locomoção, o agente é punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias. (Lei 69/14 de 29 de Agosto e Lei 110/15 de 26 de Agosto de 2015).

    • Abandono: Considera-se abandono de animais de companhia a não prestação de cuidados no alojamento, bem como a sua remoção efetuada pelos seus detentores para fora do domicílio ou dos locais onde costumam estar mantidos, com vista a pôr termo à sua detenção, sem que procedam à sua transmissão para a guarda e responsabilidade de outras pessoas, das autarquias locais ou das sociedades zoófilas. (D.L. 276/01).
    • Os animais de companhia podem deslocar-se em transportes públicos desde que: – Se encontrem em adequado estado de saúde e higiene;

    – Sejam transportados em contentores limpos e em bom estado de conservação.

    -Os animais de companhia não podem, em caso algum, tomar lugar nos bancos dos veículos afectos ao transporte público (Portaria 968/ 2009 de 26 de Agosto).

     

     

    Os animais são de extrema importância na vida das pessoas, tanto para companhia, alimentação, saúde, beleza e etc. O dia Mundial dos Animais tem como um dos objetivos o esclarecimento dessa importância, trazendo a conscientização das pessoas sobre assuntos como abandono, contrabando, caça, maus tratos com os animais.  

     

    REFERÊNCIAS

     


  • O Programa Entrevero Cultural reúne um conjunto de ações culturais voltadas à promoção e valorização dos saberes regionais nas diversas formas de expressão do folclore local.

    Publicado em 01/09/2017 às 15:46

  • Dia da Música – 1º de Outubro

    Publicado em 01/10/2018 às 20:49

    No dia 1º de outubro celebra-se o Dia Internacional da Música, instituído em 1975, pelo International Music Council, organização não governamental fundada com o apoio da UNESCO, com o objetivo de promover valores de paz e amizade por intermédio da música, levando a  todos os setores da sociedade.

    Dia da Música

     


  • Comemoração da Semana Farroupilha

    Publicado em 25/09/2018 às 20:12

    O PEC (Programa Entrevero Cultural), em parceria com o Botinas Bar, realizou nos dias 18 a 22 de setembro, a Comemoração da Semana Farroupilha. O objetivo do evento foi promover diferentes manifestações da cultura sul-americana através da arte, música, comida típica, danças e atividades tradicionais gaúchas além de estimular a socialização e interação entre comunidade acadêmica e comunidade local através de atividades culturais.

    O evento foi organizado pela bolsista Letícia de Oliveira (acadêmica de Medicina Veterinária), sob a coordenação da professora Carine Lisete Glienke e professor Marcos Froner Ferreira, além do auxílio das bolsistas Júlia Elizabeth Proença e Karina Kirschner Goede (acadêmicas de Engenharia Florestal).

    Em todas as noites, os trabalhos de organização das atividades foram executados pelos integrantes da Companhia de Dança Entrevero Cultural, com o intuito de bem atender o grande público que sepresente, totalizando cerca de 150 participantes por noite.

    Em nome do PEC, agradecemos a todas as pessoas que se fizeram presente durante a semana. O nosso objetivo com a realização do evento foi alcançado graças à colaboração de todos.

    Vocês são a certeza do nosso sucesso!

     

    Torneio de Vaca Parada que aconteceu na quarta-feira (19/09/2018) e sexta-feira (21/09/2018).

    Integrantes da Cia de Dança e locutores auxiliando durante o Torneio de Vaca Parada, realizado na quarta-feira (19/09/2018).

    Entrega de premiação do Torneio de Vaca Parada realizado na quarta-feira (19/09/2018).

    Declamação de poesia durante a “I Tertúlia Livre”, realizada na quinta-feira (20/09/2018).

    Bailongo de encerramento com Charlinho e Rancho do Cavalo Véio realizado no sábado (22/09/2018).

    Gaiteiros em apresentação durante a “I Tertúlia Livre”, realizada na quinta-feira (20/09/2018).

    Integrantes da Cia de Dança durante a “I Tertúlia Livre”, realizada na quinta-feira (20/09/2018).

    Torneio de Truco realizado na sexta-feira (21/09/2018).

    Churrasco de Encerramento da Semana Farroupilha realizado no sábado (22/09/2018).

    Assadores Oficiais do Churrasco de Encerramento da Semana Farroupilha, realizado no sábado (22/09/2018).

     

     

     

     

     

     

     


  • Dia do Gaúcho – 20 de Setembro

    Publicado em 20/09/2018 às 17:24

    Inserido na Semana Farroupilha, o Dia do Gaúcho é comemorado no dia 20 de Setembro. Esta é uma data que serve de homenagem a um dos episódios mais importantes para a comunidade dos gaúchos, que é a Revolução Farroupilha ocorrida em 20 de setembro de 1835.

    Na década de 1940, grupos de tradicionalistas resolveram manter as tradições do povo gaúcho criando a Ronda Gaúcha, conhecida também como Ronda Crioula, que ocorria entre os dias 7 e 20 de setembro para festejar a Independência do Brasil e a Semana Farroupilha. Em 1947, estudantes gaúchos se organizaram também para preservar as tradições e no ano seguinte fundaram o MTG (Movimento Tradicionalista Gaúcho).

    Por meio da lei de número 4.850 de 11/12/1964, promulgada pela Assembleia Estadual do Rio Grande do Sul, oficializou-se a Ronda Gaúcha, que passou a ser chamada de Semana Farroupilha. Por isso, em 1996, o dia 20 de setembro, foi oficializado como Dia do Gaúcho.

    “Se você bate no peito e diz “eu sou gaúcho”, é porque você conhece suas origens. É diferente com pessoas que não tem essas heranças. Não podem bater no peito e dizer “sou gaúcho”. Não, você é rio-grandense. Nasceu no Rio Grande do Sul. Gaúcho é um estado de espírito, não é um nascer, é querer ser!” – Paixão Cortês.

    Para mais informações sobre esta data comemorativa, acesse o link:

    http://entreverocultural.curitibanos.ufsc.br/semana-farroupilha-e-dia-do-gaucho/


  • Semana Farroupilha

    Publicado em 12/09/2018 às 13:53

    A Semana Farroupilha é a maior festa popular do Rio Grande do Sul, esse período é dedicado ao culto da tradição gaúcha. Acontecem desfiles em homenagem à lideres da Revolução Farroupilha, os quais lutaram por liberdade, igualdade e humanidade. Junto a Semana Farroupilha temos também o dia do Gaúcho que esta relacionado com o dia em que teve início a Revolução Farroupilha – 20 de setembro de 1835 e terminou em 1º de maio de 1845.

    No Estado de Santa Catarina, a Semana Farroupilha foi instituída pela Lei Estadual nº 17.228, de 18 de agosto de 2017. A comemoração, que integra o calendário oficial de eventos do Estado, acontece no período de 13 a 20 de setembro, com os objetivos de rememorar a luta dos heróis farrapos e de incentivar o movimento tradicionalista gaúcho nos Municípios catarinenses.

    ”(…) você bate no peito e diz “Eu sou gaúcho”, porque você conhece suas origens. É diferente com pessoas que não tem essas heranças. Não podem bater no peito e dizer “sou gaúcho”. Não, você é rio-grandense. Nasceu no Rio Grande do Sul. Gaúcho é um estado de espírito, não é um nascer, é querer ser!” – Paixão Cortês

    Para saber mais sobre a Semana Farroupilha acesse o link abaixo:

    Semana Farroupilha e Dia do Gaúcho


  • Semana da Pátria

    Publicado em 06/09/2018 às 15:31


  • Dia doFolclore:

    Publicado em 22/08/2018 às 15:19

    Originado do Inglês, a palavra “Folklore” significa “sabedoria popular”, isso porque é formada pela junção de folk, que significa “povo”, e lore, “sabedoria” ou “conhecimento”. Sendo assim, o Folclore pode então ser considerado como um conjunto de tradições populares que se constitui de lendas, mitos, danças, provérbios e demais costumes que são passados de geração para geração.

    Fonte: EL HERALDO, El Tanguito Montielero y La Chamarrita. Disponível em: http://www.elheraldo.com.ar/noticias/156617_el-tanguito-montielero-y-la-chamarrita-.html.

    Para mais informações sobre esta data comemorativa acesse: http://entreverocultural.curitibanos.ufsc.br/dia-do-folclore/


  • 19 de Agosto: Dia mundial da Fotografia

    Publicado em 19/08/2018 às 21:12

    A origem para o Dia Internacional da Fotografia se dá no ano de 1839, mais especificamente, quando no da 07 de janeiro através da Academia de Ciência da França foi anunciada a daguerreotipa, que foi um processo fotográfico desenvolvido por Joseph Nicephore Niépce e Louis Jacques Mandé Daguerre. Posteriormente a Academia de Ciência da França e a Academia de Belas-Artes explicaram o processo e dessa forma não apenas o governo francês adquiriu o invento, tornando-o público fazendo com que o “mundo inteiro” tivesse acesso a essa invenção.

    O Daguerreótipo consiste em uma imagem única e positiva e que se forma diretamente sobre a placa de cobre que em seguida é revestida com prata e quando exposta a câmera escura a imagem é revelada por vapores de mercúrio e por fim fixada com solução salina.

    Aqui no Brasil a notícia chegou mais rápido do que o imaginado, após quatro meses do anúncio mundial o Jornal do Commercio de 1º de maio lançou o título “Miscellanea” o artigo sobre o assunto e assim começou por aqui as buscas sobre fotografia ou sobre como obter melhores qualidades nas fotos obtidas, assim a Brasiliana apresentou aos seus leitores um glossário sobre as técnicas do século XIX, mas adaptado no seu catálogo” Panoramas: a paisagem brasileira” – que está relatado hoje na coleção de Moreira Salles.

    Com tudo, sabemos que atualmente este processo fotográfico já está mais instantâneo, devido a tecnologia digital que modificaram os paradigmas da fotografia, mas permitiram que pudéssemos registrar os momentos de maneira rápida e sofisticada. Os equipamentos que á nós são oferecidos além de possuírem está sofisticação, trazem maior facilidade com manuseio e uso além de maior qualidade de imagem.  Ainda que a simplificação na forma de captação, armazenagem, impressão e reprodução das imagens aliou-se a era tecnológica, pois a organização de álbuns em documentos e distribuição de fotos tornou-se mais rápida e prática via internet ampliando assim o uso da imagem, sendo que com a incorporação de celulares a imagem hoje tem tornado a fotografia cada vez mais particular ao indivíduo.

    Dessa forma, a fotografia, à medida que se torna uma experiência cada vez mais pessoal, deverá se ampliar, através dos diversos perfis de fotógrafos amadores ou profissionais. Assim, o espectro de conservar um momento em uma imagem se ampliará cada vez mais.

    Gostaríamos  de agradecer ao Augusto que sempre esteve a disposição para registrar as apresentações em que o grupo se fez presente, demonstrando assim sua experiência com está arte que é a fotografia e o saber de fotografar.

    Foto: Tiago Amado

    Foto: Augusto


  • 18 de julho: Dia do Trovador

    Publicado em 20/07/2018 às 14:16

    Jorge Amado dizia: “Não pode haver criação literária mais popular e que mais fale diretamente ao coração do povo do que a trova. É através dela que o povo toma contato com a poesia e por isto mesmo a trova e o trovador são imortais”.

    No dia 18 de julho se comemora o Dia do Trovador, e se comemora nesta data por ser o dia do nascimento de Gilson de Castro (RJ), cujo pseudônimo literário é Luiz Otávio.

    A trova é um micro poema, o menor da língua portuguesa, que deve obedecer características rígidas. É preciso que a trova seja uma quadra, ou seja, tenha quatro versos (na poesia, cada linha é denominado verso). E cada verso deve ter sete sílabas poéticas, sendo estas contadas pelo som.

    Para mais informações desta data comemorativa, acesse o link:

    Dia do Trovador

     

     


  • Apresentação na V SAVUFSC.

    Publicado em 05/06/2018 às 21:40

    “Por definição regional, Entrevero é uma mistura, confusão de pessoas ou coisas. Com o Entrevero Cultural, nós propomos um encontro de pessoas com características distintas, em torno da cultura regional nas suas mais variadas manifestações. Essa é a essência do nosso trabalho com o Programa Entrevero Cultural“.

    No dia 04 de junho de 2018, o PEC realizou uma apresentação na abertura da V SAVUFSC (Semana Acadêmica da Medicina Veterinária da Universidade Federal de Santa Catarina), que aconteceu nas dependências da UnC (Universidade do Contestado Campus Curitibanos). A apresentação foi realizada pelo professor da Companhia de Dança Entrevero Cultural, Marcos Froner Ferreira, que com o seu acordeão mostrou a beleza de músicas tradicionais gaúchas e de salão.